Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O BLOG DO VILAS

POR LUÍS VILAS ESPINHEIRA

O BLOG DO VILAS

POR LUÍS VILAS ESPINHEIRA

ENTREVISTA CAROLINA GOMES DA SILVA: "Acabo por estar quase 24 horas por dia a trabalhar"

A Carolina foi das primeiras pessoas da minha zona a fazer crescer o seu número de seguidores no Instagram. Desde os primórdios da rede social do momento que ela partilha as suas receitas, o seu estilo de vida e as suas aventuras. Carismática, engraçada e metódica, o trabalho da Carolina acabou por ser diretamente ligado às redes sociais e à sua comunidade de mais de 55 mil seguidores. Passa os dias a produzir conteúdo para eles, com todo o seu carisma, boa disposição e atenção. Responde a todas as dúvidas e é extremamente prestável. Foi ela quem me ajudou a dar os primeiros passos no blog, com toda a paciência e detalhe.

A Carolina tem um percurso multifacetado. Nunca se cansou de aprender. É licenciada em Economia, mestre em Auditoria e Fiscalidade e tem uma pós-graduação em Marketing Digital. Para além disso, possui diploma nos cursos de Personal Trainer, de Formação Pedagógica Inicial de Formadores, Nutrição e Suplementação Desportiva e Fotografia. Tem também formação de Instrutor de Natação para Bebés e de Strength and Conditioning Specialist

São várias as áreas de interesse da Carolina e ela consegue dar conta de todas quando partilha o seu quotidiano com os seus seguidores. Dá opinião sobre o que quer, fala das suas viagens, das suas cadelas e das suas aventuras pelo mundo. As receitas vegan dão que falar e a alimentação também. Quem quer ver a Carolina, encontra-a a treinar, a cozinhar e a comer nas redes sociais.

A entrevista começou comigo a reparar que o estado dela no WhatsApp era "no ginásio". "Onde haveria de estar?" respondeu ela, a rir-se.

Deixaste de comer carne em 2008. Na altura falava-se menos desse tema do que hoje. O que te levou a essa decisão? Fizeste-o por uma questão de bem-estar ou pela questão dos animais mesmo?

Nunca fui fã de carne. Quando andava no infantário era mesmo chata para comer. Já na escola era igual. Quando era carne ao almoço demorava sempre mais que os outros a comer, muitas vezes ficava para o fim e acontecia mesmo situações em que ficava de castigo porque não terminava a refeição. Mas isso não serviu de nada. Ficava horas com o prato à frente enquanto os miúdos iam todos brincar, mas não comia. Deixei de comer porque não me sentia bem e porque me fazia impressão ingerir animais tão parecidos connosco. Mas claro que também o fiz pelo planeta quando percebi que o mundo da agropecuária não é aquilo em que nos fazem acreditar.

De repente foi um processo: começaste a abdicar da carne, depois do peixe e depois de todos os alimentos de origem animal, certo? Neste processo o que é que custou mais?

Sim. Deixar os ovos e o queijo, sem dúvida.

A partir de que momento é que começas a partilhar o teu estilo de vida nas redes sociais? Como é que disparou o interesse das pessoas?

Quando comecei a partilhar comecei logo a ter alguns seguidores porque ainda era uma rede muito recente. Foi em 2013 creio eu. Eram poucas as pessoas que tinham Instagram e, por isso, qualquer coisa diferente que aparecesse era logo muito vista. Era diferente do Instagram de hoje. 

WhatsApp Image 2020-10-15 at 13.03.33 (1).jpeg

Quais são os maiores mitos e preconceitos associados ao veganismo? És muitas vezes "vítima" desse tipo de abordagens?

Hoje em dia já não há tantos, mas há uns anos era tudo muito estranho para os outros. Achava-se que os veganos / vegetarianos só comiam folhas, que não tinham como ir buscar a proteína a nenhum alimento, que eram todos muito magros e desnutridos. Um vegetariano pode ser obeso. A massa é vegetariana, o arroz, as batatas, as bolachas... é só saber o que se come e ter um bocadinho noção do que é ou não saudável.

Por que é que achas que as pessoas te seguem? Qual é a tua característica que "vende" mais? A tua personalidade, o teu estilo de vida, a tua alimentação, os teus treinos...

Acho que é porque era vegetariana e agora vegan. Isso desperta alguma curiosidade. como é que alguém que não come animais tem músculo? O que é que quem não come animais come efetivamente? Acho que é por aí. Mas também acho que é o facto de comer bolachas se me apetecer ou um gelado. Ser real, não comer sempre de forma saudável também desperta curiosidade.

Viver num meio pequeno limita-te a oferta? Imagina, eu consigo ir a uma esplanada comer um bolo sabendo que ele pode levar ovos, manteiga ou leite. E tu? Como fazes quando lanchas fora?

Sim, imenso. Levo quase sempre o lanche comigo. Num café, para além de pão seco, "posso" beber sumos, água e pouco mais. Por vezes também levo comida para restaurantes quando vou num grupo e sei que não haverá nada para mim e não me apetece jantar arroz com batatas.

Continuas a considerar difícil ser vegan? Porquê?

Não considero difícil. É difícil para quem almoça e janta fora todos os dias, para quem está muito tempo na rua. Assim é mais complicado.

Tens um canal de YouTube, um blog, um Instagram com mais de 55 mil seguidores, vendes roupa online. A tua vida gira muito em torno das redes sociais. Quais são os prós e os contras?

Acabo por estar quase 24 horas por dia a trabalhar. Desde que acordo até que me deito estou a trabalhar. Há sempre coisas para fazer quando se tem várias redes para alimentar. Os contras é estar sempre agarrada ao telemóvel e não poder disfrutar de tudo. Por exemplo, quando vou de viagem, estou sempre preocupada porque quero criar conteúdo. Gravar, escrever, editar... Faço tudo isso sozinha e dá imenso trabalho. Além de isso poder ser um contra também acho que é um pró porque acabo por fazer o que gosto, posso fazê-lo em qualquer sítio do mundo e a qualquer hora, mesmo que acabe por trabalhar mais do que alguém com horário fixo das 9h às 18h.

As pessoas reconhecem-te na rua?

Apesar de não ser muito abordada na rua, até porque onde vivo quase toda a gente me conhece da escola, ginásio ou assim, quando sou fico sempre envergonhada porque nunca estou à espera. As meninas são sempre muito queridas comigo. Já cheguei a tirar fotografias no aeroporto depois de uma viagem atribulada. Vinha com péssimo ar mas mesmo assim quiseram tirar uma fotografia comigo e isso não tem palavras. Nem tenho forma de agradecer tanto carinho e simpatia das pessoas.

Os teus familiares e amigos apoiam-te nas tuas escolhas? O que dizem eles da tua profissão?

Sim. Acham piada. Dizem que estou sempre a fotografar tudo e a filmar tudo e acham imensa graça a isso. Acabo por pedir bastantes vezes para a minha mãe ou irmã, essencialmente, me fotografar quando necessito, por isso também já estão habituados…

WhatsApp Image 2020-10-15 at 13.03.33 (3).jpeg

Estás descansada com o teu futuro? O ser influencer ainda não é considerado uma profissão em Portugal e isso traz algumas limitações, nomeadamente no que diz respeito à reforma. Como te sentes em relação a isso?

Não estou descansada mas não é algo em que pense todos os dias. Sei que mais cedo ou mais tarde terei de arranjar alternativas mas neste momento estou focada nisto, onde dou o meu melhor diariamente.

Achas que há "muitas versões" no mundo do fitness? Muitas versões de alimentação correta, de treinos bem feitos, etc.?

Sim, há. Toda a gente tem uma opinião sobre tudo ou quase tudo, por isso acaba por haver muitas versões de tudo. Do mundo fit inclusive. Além de que o mais o correto é relativo. Para ti pode ser correto comer frango ao almoço e jantar para mim pode ser algo que põe as pessoas doentes e que faz mal ao planeta, logo não é correto, entendes? Depende da pessoa, do estilo de vida, do que ela pretende. E essas mesmas várias versões podem estar todas certas, o que faz sentido para uns pode não fazer para outros, por isso não há bem coisas erradas disso que disseste no áudio. Por exemplo, comer hidratos à noite não faz mal nenhum, assim como o jejum não faz mal nenhum. Claro que se a pessoa tiver de perder 20kg e comer bolachas dia e noite esses hidratos à noite podem ter de sair do plano alimentar...

É verdade que comes muito?

Onde foste buscar isso? (risos). Tem dias. Quando treino mais acabo por comer mais também, tanto que quando faço muito cardio aumento de peso, por exemplo, porque como mais. Teria de fazer "dieta" para que isso não acontecesse.

Tens haters? Se tens, quais achas que são as maiores críticas que te fazem?

Que eu saiba, não. Quer dizer, pelo menos não se pronunciam. Mas devo ter muita gente que não gosta de mim, como é normal. As maiores críticas são sempre feitas dentro de casa, pelos pais, irmã e namorado. São uns grandes críticos, difíceis de agradar.

Instagram: LOURENÇO MATOS (@lourencomatos)

Quais são os influencers que mais te influenciam?

Pode ser as "mulheres conhecidas que me inspiram mais"? Camila Guper, Catarina Gouveia, Grace Kelly Sá, Cristina Ferreira, Ana Garcia Martins (A Pipoca Mais Doce), Mariana Machado e Carolina Loureiro.

Sabia desde o início que a Carolina tinha de fazer parte do meu blog. Não só porque me ajudou, mas porque admiro muito o empenho dela. Ela leva completa e literalmente na desportiva o seu trabalho num meio que, muitas vezes, se torna tão tóxico. Admiro-a e agradeço por fazer parte das minhas entrevistas. Fiquem com os links:

📖Gocarol.blogs.sapo.pt
📲Instagram.com/carolinagomesdasilva
📗Facebook.com/gocarolbycarolinagomesdasilva
🎥Youtube.com/gocarolbycarolinagomesdasilva
🎵Vm.tiktok.com/XKwMsR
ℹ️ Linkedin.com/in/carolina-gomes-da-silva-93832a92
👤https://peoople.app/en/usuarios/@carolinagomesdasilva/recomendaciones?_branch_match_id=494562591572828447
📍Pinterest.com/carolinagomesdasilva
🍅Zomato.com/carolinagomesdasilva
🐦Twitter.com/caroligomesilva
🎶open.spotify.com/user/1168474116?si=ClvtFloXTX2dYw-RPWiMiA

 

 

 

SIGAM-ME NO INSTAGRAM: @luisvilasespinheira

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.